- Publicidade -

Nesta quinta-feira, 10, o ex-governador do Tocantins Marcelo Miranda completará 58 anos de idade e 15 dias preso, ele está em uma sala do Estado Maior no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar de Palmas.

O ministro Reynaldo Soares da Fonseca, do Superior Tribunal de Justiça, negou no começo da noite de ontem, 8, mais um pedido de habeas corpus do ex-governador. A decisão completa ainda não foi publicada, mas a informação do indeferimento do pedido está disponível no sistema de consulta processual do STJ. A medida é liminar e foi publicada às 19h28 da última terça-feira. 

O esquema

Conforme a decisão judicial, Brito Miranda, pai do ex-governador, e Brito Miranda Júnior, irmão, funcionavam como pontos de sustentação para “um esquema orgânico para a prática de atos de corrupção, fraudes em licitações, desvios de recursos, recebimento de vantagens indevidas, falsificação de documentos e lavagem de capitais, cujo desiderato [finalidade] era a acumulação criminosa de riquezas para o núcleo familiar como um todo”.

Trajetória política

Marcelo Miranda foi eleito governador do Tocantins três vezes, sendo cassado duas vezes. Ele governou o estado entre 2003 e 2009 e entre 2015 e 2018. A última cassação foi por causa de um avião apreendido em Goiás com material de campanha e R$ 500 mil ligados a campanha do ex-governador em 2014.

Ele também foi eleito senador da República, mas não pôde assumir porque foi considerado inelegível.