- Publicidade -

O presidente Jair Bolsonaro sancionou na noite desta segunda-feira (8) a lei que cria a UFNT (Universidade Federal do Norte do Tocantins), com sede em Araguaína (TO), por desmembramento de campus da UFT (Universidade Federal do Tocantins). Essa é a 1ª universidade criada em seu governo.

Com a nova lei, cursos, alunos e cargos dos campi de Araguaína e Tocantinópolis vão ser automaticamente transferidos para a UFNT. Também serão criadas as unidades de Xambioá e Guaraí.

“É a 1ª [universidade] do nosso governo e será uma forma diferente, mas diferente no bom sentido, de nós encararmos o ensino público no Brasil. O Tocantins merece”, disse o presidente em vídeo.

Participaram do ato de sanção, no Palácio do Planalto, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO) e os deputados federais Carlos Gaguim (DEM-TO), Osires Damaso (PSC-TO) e Tiago Dimas (SD-TP).

A criação da universidade foi aprovada no Congresso Nacional em 12 de junho deste ano, por meio do Projeto de Lei 2479/2019, de iniciativa do governo.

Na ocasião da aprovação no plenário, a relatora na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania), senadora Kátia Abreu (PDT), agradeceu a aprovação do projeto, afirmando que a universidade ia fazer a diferença não só para os jovens de Tocantins, mas também para os jovens do sul do Maranhão, do sul do Piauí e do sul do Pará.

A UFNT tem cerca de 20 mil alunos, com cerca de 50 cursos presenciais de graduação, entre licenciaturas, bacharelados e cursos tecnológicos.

O senador Eduardo Gomes desde o primeiro momento do mandato encampou a luta da UFNT que estava paralisada no senado, foi ele o responsável pelo andamento célere do projeto até a sanção do presidente Jair Bolsonaro.