- Publicidade -

Divino da Silva Marinho, acusado de tentar matar a namorada e de desfigurar o rosto da mesma com golpes de facão, foi condenado à pena de 16 anos, 9 meses e 18 dias de reclusão. A sessão do Tribunal do Júri aconteceu em Araguaína nesta segunda-feira, 01, quando o conselho de sentença reconheceu todas as acusações apresentadas na denúncia criminal oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE).

O caso ocorreu em novembro de 2017, na cidade de Araguaína e foi motivado por ciúmes, devido ao fato de a ex-namorada, Milena Abreu de Moura, com 18 anos na época dos fatos, ter ido a um show em comemoração ao aniversário da cidade. Conforme relatou a vítima, ela recusou-se a ir embora do evento a pedido do ex-namorado, vindo este, na ocasião, a ameaçá-la. A agressão ocorreu quando ela, acompanhada de familiares, voltava para casa. Milena só não foi a óbito porque se fingiu de morta.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Divino agiu de forma consciente e voluntária, em razão da condição de sexo feminino da vítima, caracterizada pela violência doméstica e familiar. O Promotor de Justiça Benedicto Guedes, que fez sustentação oral no Júri, por mais de nove horas,  teve acatadas as alegações de prática de homicídio qualificado pela torpeza, meio cruel e utilização de recurso de dificultou a defesa da vítima e feminicídio, na forma tentada.