Sistema Penal forma 14 custodiados em curso profissionalizante de Mecânico de Refrigeração Residencial na Unidade Penal de Formoso do Araguaia

Executado por meio da Sispen/TO, o curso faz parte do Programa Novo Tempo e foi realizado por meio do projeto Monitoria PPL

Com o foco na capacitação e profissionalização de pessoas privadas de liberdade no Estado do Tocantins, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), formou nesta segunda-feira, 23, 14 presos de nove unidades penais em mais uma turma de ensino profissionalizante. A cerimônia se deu na Unidade Penal de Formoso do Araguaia, local do curso, na qual os formandos receberam certificação no curso de Mecânico de Refrigeração Residencial, com 180 horas/aula, gerando 13 dias de remição da pena para cada um dos custodiados participantes.

O curso, que foi executado por meio da Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional da Seciju, faz parte do Programa Novo Tempo e foi realizado por meio do projeto Monitoria PPL, no qual um preso ensina para os demais. Cabe ressaltar que o monitor foi um custodiado selecionado pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), por meio de edital aberto, algo recente no Sistema Penal.

Durante a cerimônia, o superintendente de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional do Estado do Tocantins, Orleanes Alves, falou da satisfação em ver o quanto o trabalho tem sido ampliado nas unidades penais do Estado. “A gestão da Renata Duarte à frente da Gerência de Reintegração Social, Trabalho e Renda ao Preso e o trabalho de sua equipe é um divisor de águas no que diz respeito ao trabalho e renda no Sistema Penal e por meio dela eu quero agradecer a todos os servidores que são comprometidos com este propósito que tanto tem crescido, de fato temos vivido novos tempos”, disse.

De acordo com a gerente de Reintegração Social, Trabalho e Renda ao Preso da Seciju, Renata Duarte, a educação muda pessoas e situações. “Independentemente da motivação dos participantes deste curso, o processo de ensino e aprendizagem trouxe experiências significativas. Em cada relato, percebo que valeu a pena os esforços coletivos entre a Secretaria de Estado da Educação e o Sistema Penal pela pactuação e execução deste curso. Isso é garantir direitos de forma assertiva e também a manutenção da segurança no estabelecimento penal”, assegurou.

Proposta de emprego

O custodiado R.M.C., que está cumprindo sua pena na Unidade Penal de Formoso do Araguaia, está muito feliz, pois antes mesmo de terminar o curso teve seu talento e esforço percebido e já recebeu uma proposta de emprego. “Essa proposta surgiu por intermédio do nosso chefe de unidade, Miller Azevedo, pois ele percebeu que eu levo jeito com diversos tipos de serviços que envolve conhecimento de mecânica, trabalhar com blocos, pingadeiras, e por isso me colocou em contato com os gestores de uma loja aqui da cidade, Casa Bela, que é parceira da unidade penal. Eles perceberam que eu tenho esses conhecimentos e me fizeram uma proposta para trabalhar na empresa. Eu estou satisfeito demais, porque é muito importante uma proposta dessa antes mesmo de sair daqui”, comemorou.

O chefe da Unidade Penal de Formoso do Araguaia, Miller Azevedo, disse que toda sua equipe é comprometida para que a reinserção social aconteça de forma eficaz. “Estamos sempre atentos para que o ensino e a capacitação possam realmente provocar as mudanças necessárias para que as pessoas que vivem em situação de privação de liberdade retornem à sociedade com outra perspectiva de vida. Este curso foi um sucesso e nosso desejo é que a sociedade colha os bons frutos que irão surgir a partir dele. Desejamos bons empregos aos formados”, concluiu.

Receberam certificação dois custodiados de Cariri, um de Barrolândia, um de Palmeirópolis, um de Araguacema, um de Miracema, um de Guaraí, um de Taguatinga, um de Augustinópolis e da unidade anfitriã, Formoso do Araguaia, foram cinco.

 

 

 

***

Marcos Miranda – Governo do Tocantins

Edição: Shara Resende/Governo do Tocantins