Adetuc realiza inventariação turística e verifica protocolos em Peixe

Há 38 anos, Florisval Barreira e Lira vive na pequena Ilha do Sossego, uma das mais de 300 ilhas catalogadas no Arquipélago do Tropeço, localizado no município de Peixe. Antes de chegar a região Sul do Tocantins, o piauiense viveu em Brasília e no Jalapão, no final dos anos de 1960. Com simpatia, mostra seu rancho simples, mas acolhedor, serve um cafezinho e revela como recebe visitantes para as técnicas da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), que estão em Peixe para realizar o inventário turístico local. Este é o sexto município a ter os dados de seus atrativos, meios de hospedagem, restaurantes e prestadores de serviços registrados. Todas as informações serão inseridas na Plataforma Integrada de Turismo (PIT) e estarão acessíveis ao público por meio de um site.

O Arquipélago do Tropeço é repleto de ranchos particulares. Apenas quatro ilhas estão abertas ao turismo, com áreas de camping, mas a intenção da Prefeitura Municipal é estimular o empreendedorismo local. A Ilha Califórnia também está aberta ao público, uma iniciativa recente do casal Lidiane Nascimento e Edvaldo Camelo, que adquiriram a propriedade em 2020. “A gente sente prazer em mostrar o que tem”, diz Lidiane, enquanto apresenta a área de camping, a cozinha, os acessos a pontos perfeitos para um banho refrescante.

Rosilene Pereira, mais conhecida como Rosa de Fogo, que no início deste ano assumiu a secretaria de Turismo, conta que o perfil do turista de Peixe está mudando. “Antes, o turismo se restringia aos 30 dias da temporada de praia, mas hoje sabemos que temos oportunidades para o ano todo”, aponta ela, que atua no setor há vários anos. Se antes, o principal polo emissor era Gurupi, hoje é comum ver uma grande quantidade de visitantes de Brasília e Goiânia, entre outras. “Estamos recebendo mais famílias, que estavam reclusas por causa da Covid-19”, aponta ela.

Estimular o turismo sem perder o controle da transmissão do novo coronavírus é uma das preocupações do prefeito Augusto Cézar Pereira dos Santos, o Cezinha. A Adetuc também enviou técnicos para conferir a correta aplicação dos protocolos de prevenção à Covid-19 em pousadas e restaurantes. Uma primeira visita técnica foi realizada em outubro de 2020.

Publicidade

Publicidade

A ação da Adetuc segue até quarta-feira, quando será realizada reunião para a institucionalização da Instância de Governança da Região Turística da Ilha do Bananal.

De acordo com o presidente da Adetuc, Jairo Mariano, o inventário da Oferta Turística, que faz parte de uma recomendação do governador Mauro Carlesse para o fortalecimento do setor, permitirá estratégias de regionalização do turismo e o desenvolvimento local dos municípios tocantinenses. “Os resultados obtidos através desse levantamento irão auxiliar na construção de um diagnóstico local que permitirá integrar as atividades, serviços e atrativos em uma escala regional permitindo, desta forma, a abertura de novos roteiros e o desenvolvimento de todo o trade turístico”, destacou o gestor.

 

***

Seleucia Fontes/Governo do Tocantins