- Publicidade -

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou a realização de audiências públicas para discutirem duas propostas que alteram regras do saque do FGTS. Um dos projetos é o PL 685/2019, do senador Jorginho Melo (PL-SC). O projeto permite a movimentação da conta vinculada do empregado para fomentar a abertura de micro e pequenas empresas.

Segundo o autor, a iniciativa ajudaria a impulsionar novos empreendimentos. Para ele o saque auxilia aqueles que “não completam o ciclo inicial de formação por falta de capital de giro e de recursos necessários para fazer frente aos primeiros meses da atividade”.

O relator, senador Styvenson Valentin (Pode-RN), recomendou a aprovação do texto. Ele considerou o interesse social da iniciativa e o “alto índice de mortalidade” da pequenas empresas no Brasil. Apesar de já ter dado seu voto favorável, ele foi a favor da realização da audiência pública.

“Nesse caso o fundo seria usado para aquecer a economia com empreendedorismo e geração de empregos. Hoje em dia, tem sido muito questionado o uso do dinheiro e a superproteção do governo”, afirmou Stynvenson.

Doenças

O outro projeto a ser discutido é o PLS 703/2015, do senador Romário (Pode-RJ). Esse projeto abre mais cinco circunstâncias de saúde para saque do FGTS. Seriam elas: doença grave, incapacitante ou rara; doença que demande cuidados permanentes ou de alto custo; doença que necessite de tratamento multidisciplinar; doença ou condição que dispense carência para concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez; e doença ou condição que motive isenção do imposto de renda.

Eduardo Gomes

O senador Eduardo Gomes (MDB) foi quem pediu a reunião. Ele lembrou que o governo está analisando mudanças no gerenciamento do fundo, que devem incluir a rentabilidade e novas regras para acesso aos recursos por parte dos trabalhadores.

Recentemente o líder do governo, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), apresentou requerimento para que o PLS 703/2015 tramite em conjunto com outras proposições que tratam de mudanças no saque do FGTS. A Presidência do Senado enviou ofício à CAS para envio do projeto à Secretaria-Geral da Mesa para atender ao pedido do senador.