Quilombos da região sudeste são atendidos pelas equipes do Governo do Tocantins com entrega de alimentos

Comunidades de quilombos centenários da região sudeste do Estado começaram a receber as cestas básicas nesse sábado, 13. A ação partiu de uma determinação do governador do Tocantins, Mauro Carlesse, que até o momento já atendeu mais de 15 mil famílias da zona rural de quatro regiões do Estado.

Os trabalhos estão sendo feitos por equipes do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), que estão percorrendo os rincões do Estado desde o mês de março.

Nesse sábado, uma das comunidades beneficiadas foi o Quilombo Redenção, que fica localizado a 25 quilômetros do município de Natividade. O local reúne tradições ancestrais que remontam 130 anos de histórias e manifestações culturais dos povos tradicionais do Tocantins, com sete gerações de descendentes de escravos.

Uma das famílias beneficiadas foi a da senhora Vitalina dos Santos, de 68 anos, e seu esposo, Balbino Borges, 75 anos. O casal de aposentados também desempenha o papel de liderança popular no quilombo, responsável por promover celebrações religiosas que misturam elementos das matrizes culturais cristã e africana.

Agora com a pandemia do novo Coronavírus, uma das preocupações de toda a comunidade está justamente na realização do tradicional natal, nos dias 24 e 25 de dezembro.

De acordo com o senhor Balbino, o evento é bastante esperado na região, reunindo centenas de pessoas todo ano, que vem acompanhar de perto o desfile dos “mastreiros”.

“Toda vez são pelo menos três vacas para dar de comer para todo mundo. Agora só não sabemos se vai ter esse ano por causa desse negócio aí [Coronavírus]. Mas se acabar, a gente faz, né? Vamos esperar para ver”, explicou.

A realização do natal quilombola congrega símbolos da era escravagista brasileira, por meio dos “Capitães do Mato e as Rainhas”, personagens que são vividos por moradores da região durante cortejo nas vias do quilombo.

A partir das medidas de isolamento social, as comunidades sentiram os efeitos econômicos, mas também com a paralisação das manifestações culturais e populares.

Desde então, diversos eventos culturais e religiosos em todo o Brasil foram afetados, como a Festa do Senhor do Bonfim, que ocorre no mês de agosto em Natividade, e que acabou sendo cancelada neste ano.

“O Coronavírus está afetando a vida em diversas maneiras e a entrega desses alimentos procura suprir uma parte daquilo que está sendo afetado, mas vemos todo esse contexto cultural com igual importância. Nossa orientação é seguir as recomendações das autoridades de saúde, de aguardar a pandemia passar. Felizmente, o que vemos é que a população está ciente disso, buscando cuidar um dos outros”, destacou o governador Mauro Carlesse.

Produção de Subsistência

Além das manifestações culturais, uma realidade dentro dos quilombos é que a produção de alimentos é pouca, já que boa parte dos moradores são de pessoas idosas ou aposentadas.

Foi o que relatou o presidente da Associação de Moradores da Comunidade Quilombola Redenção, Valdivino Borges, que destacou que a entrega das cestas básicas vem em boa hora e pode ajudar os mais velhos.

“Aqui nessa terra a maioria são idosos, gente mais velha que já se aposentou. Então a produção é bem pequena, já que muitos têm dificuldade de trabalhar na roça. Direto a gente encontra quem tá precisando de ajuda, e agora com essa doença ai que parou tudo, é que nós precisamos mesmo”, concluiu.

___

Rafael Miranda/Governo do Tocantins

Foto: Antônio Gonçalves/Governo do Tocantins