- Publicidade -

Caros leitores neste mês de abril o portal Tocantins Agora enfrentou um de seus maiores desafios, com poucos anunciantes tivemos que sair do ar temporariamente. Estávamos desde o dia 16 último, sem noticiar e desconectados.

Este portal cujo projeto é uma missão social, busca pautar os interesses da comunidade em sua raiz. Cobrimos hoje 56 cidades do sudeste, centro e sul do Tocantins. Mas atendendo e com espaço sempre aberto a todos os municípios. Temos exatamente 20 meses no ar, neste tempo, muitas vezes realizando sacrifícios pessoais para que o portal se mantenha firme e rente ao seu objetivo fundacional.

Desde o último dia 16, pudemos conhecer com mais exatidão até onde tem chegado nossa atuação e como isto tem influenciado o debate, a escolha e provocado mudanças. Pudemos conhecer também a força e carinho de nossos leitores, nestes seis dias em que ficamos fora do ar, recebemos o contato de exatos 812 leitores, muitos deles procurando saber como poderia colaborar, mesmo pouco, para que o Tocantins Agora não fechasse suas portas.

Pudemos também conhecer a profundidade do gesto de muitos amigos que nos estenderam a mão no momento mais difícil nestes 20 meses de Tocantins Agora.

Em Dianópolis, base do nosso portal, também foi possível conhecer a outra face de muitos políticos que nos procuram rotineiramente pedindo “notinhas” de suas movimentações, pessoas que sempre tiveram e terão espaço aqui, aliás, todos têm espaço aqui. Mas nos surpreendeu ver que alguns, no frigir dos ovos, são apenas aqueles velhacos enroladores que se acostumaram a fazer promessas e dar tapinhas nas costas do povo. Estes políticos, não me atreverei a citar seus nomes, pois são o que há de mais antigo na política e representam o seu maior perigo, sua principal característica é a perseguição a execração pública. É preciso ter cuidado com os dinossauros da política, estes líderes nos fazem achar que a política seria a segunda profissão mais antiga da humanidade, contudo, suas ações nos fazem ver que ela se parece muito e cada vez mais com a primeira.

Há setores da política dianopolina, que têm uma visão definitivamente autoritária das relações com a imprensa (profissional), invadindo, sem nenhum pudor, a esfera do privado, daquilo que é próprio de cada um. O poder de alguns “líderes” -que figuram entre os mais conhecidos, ao passo que também esquecidos nas urnas- é exercido sob a forma de controle da vida individual, em que, por princípio, nada se coloca fora do seu alcance. A liberdade de escolha – e, por extensão, de iniciativa -, econômica, de imprensa, de publicidade, é fortemente atingida. Engana-se quem pensa que se trata de ações apenas pontuais. Em cada caso específico, as ações destes “líderes” se revelam toda uma concepção de mundo, das relações pessoais e, mais particularmente, dos costumes. Precisam ser sepultados na vida pública.

Não à toa, Eça de Queirós afirma que políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.

O filósofo José Arthur Giannotti criou essa expressão e eu a achei perfeita; O “militante imaginário” é o sujeito que se acha revolucionário, mas nunca fez nada pelo povo. Chamemo-lo de MI. Agora, nessa grande crise de mutação que vivemos, pululam militantes imaginários. O MI se julga em ação, só que não se mexe. Ele é a favor de um Bem que não conhece bem. O que é o “Bem” para ele, o nosso militante imaginário? Para o MI de hoje o “Bem” é uma mistura de crenças ideológicas que nos levariam a um futuro de felicidade. A mente de um MI é um sarapatel de leninismo vulgar, socialismo populista, subperonismo, vagos ecos getulistas e um desenvolvimentismo tosco. Eles gostam de ser militantes porque é bonito estar assentado, mesmo que por tempo determinado, em uma posição socialmente enobrecedora; ela abriga, como uma igreja, muitos tipos de oportunismo ideológico. Não faltam militantes imaginários para citar em Dianópolis!

PADRINHOS DO TOCANTINS AGORA

Agradecemos aos diversos leitores políticos ou não (a maioria dos colaboradores não são) que sendo procurados ou não por este editor em primeiro momento se sentiram tocados pelo que fazemos aqui e se tornaram padrinhos do portal Tocantins Agora, que ressurge com a responsabilidade aumentada, com o compromisso de sempre mostrar todos os lados das histórias e furos de reportagens que veiculamos. Nossa luta, coragem e dedicação só ganhou mais motivação nestes dias em que vocês se esforçaram conosco para voltar ao ar.

Muitos, na verdade a maioria me pediu para não serem citados aqui em nossos agradecimentos e para ser justo, não citarei ninguém, coisa que fiz mais de uma vez a cada padrinho (a) colaborador (a). Este momento não será esquecido, bondade, afeto, companheirismo, empatia!

Enfrentamos ainda diversas dificuldades para manter o portal no ar, superaremos sabendo que temos o carinho dos leitores, superaremos com trabalho, logo nos reinventaremos, logo o portal da comunidade Tocantins Agora, mais uma vez surpreenderá com seu formato vanguardista que hoje alça a marca de 72 mil acessos diários conquistados com muito trabalho, determinação, notícias verdadeiras sempre checadas e, credibilidade, obrigado por isso.

 

Haja o que houver,

Stephson Kim – Editor Chefe