EDITORIAL: Eleição suplementar. É hora de espantar os ratos

Publicidade

Publicidade

Carlos Amastha, Vicentinho Alves, Márlon Reis e Mauro Carlesse são os nomes até o momento mais polarizados nas discussões sobre a eleição suplementar no Tocantins, seja nas rodas de conversa, seja nas páginas do Facebook, Twitter e principalmente nos grupos de whatsapp. Os quatro pré-candidatos ao governo do estado são os nomes mais lembrados e citados, a senadora Kátia Abreu ainda é pouco lembrada, posto a incerteza se está ou não apta para a disputa.

A campanha destes quatro políticos citados no início, já tomou um tom de organização com relação às equipes de marketing, que aparentemente já estão bem alinhadas com seus clientes, inclusive com posicionamento de peças publicitárias para as convenções e defesas dos respectivos pré-candidatos.

O REDE, partido do ex-juiz e pai do Ficha Limpa, Márlon Reis é quem realizará o primeiro evento para confirmar seu candidato. A convenção da Rede Sustentabilidade será realizada em Palmas no hotel Pousada dos Girassóis às 15h deste sábado, 21.

O PSB de Carlos Amastha fará sua convenção no Espaço Cultural da capital a partir das 16h do domingo, 22. No mesmo horário e dia está marcada a convenção do Partido da República que confirmará como candidato o senador Vicentinho Alves, o evento acontecerá no auditório da Associação Tocantinense dos Municípios (ATM), também em Palmas.

Já a convenção do PHS, partido do presidente da Assembleia Legislativa e governador interino Mauro Carlesse será mais demorada e começará mais cedo no domingo, 22. O flyer de Mauro Carlesse convida e destaca que o evento começará às 9:00h e ocorrerá até às 17:00h no auditório da AL em Palmas.

A senadora Kátia Abreu que recentemente se foliou no PDT, foi a última a publicar o convite para a convenção do seu partido. O contato que a senadora utiliza para whatsapp começou a distribuir os convites online no final do dia de ontem, por volta das 23h. A convenção do PDT acontecerá em Palmas na sede do partido a partir das 14:00h do domingo próximo.

-- Publicidade --

O portal Tocantins Agora entrou em contato com as assessorias do senador Ataídes de Oliveira (PSDB) e do deputado estadual Osires Damaso (PSC) que também devem disputar a suplementar, mas até o fechamento desta matéria, as assessorias não confirmaram quando, onde e se, farão convenção que tem prazo determinado pelo Tribunal Regional Eleitoral para acontecer até o dia 22.

AS NOVAS E AS VELHAS ARTICULAÇÕES

Ainda nesta quinta-feira, 19, diversos veículos de imprensa já começaram a cogitar as alianças que serão confirmadas até o domingo.

O senador Vicentinho Alves deve ser o candidato que mais receberá apoio de partidos políticos. Nos bastidores da Assembleia Legislativa na quinta-feira, 19, alguns deputados estaduais comentavam que a possibilidade é a de Vicentinho receber o apoio de 14 a 16 partidos. A primeira vista o fato pode parecer uma grande aliança política, mas dando perspectiva a esta união, não se pode esquecer o que aconteceu em Palmas nas eleições de 2016, quando Raul Filho conseguiu formar um palanque histórico que chegou ser intitulado de “Palanque da mais alta cúpula política tocantinense”, mas, amargou uma derrota muito forte. Ainda não se pode ter certeza se o eleitorado do Tocantins compreenderá as alianças da suplementar, com vistas para o que aconteceu em Palmas em 2016, onde Amastha derrotou o palanque histórico de Raul Filho. Some-se ainda o desgaste do governo do MDB partido de Marcelo Miranda que não conseguiu realizar uma gestão satisfatória, deixando inclusive grandes dívidas com fornecedores do estado. Separar esse desgaste e manter o MDB no palanque não será tarefa fácil, entrará na disputa de forma negativa aquele que tiver que abraçar essa “prima feia”, o partido de Miranda.

CARLOS AMASTHA, MAURO CARLESSE E MÁRLON REIS – Para estes três candidatos uma certeza; nenhum deles comporão com o MDB. E podem tirar grande proveito disso. Sem nenhuma dúvida uma pecha marcará essa campanha eleitoral da suplementar, a forte discussão da dita “nova e velha política”, os debates caminham para apontar o dedo aos que aceitam “qualquer negócio” como forma para manutenção e perpetuação no poder. Amastha, Márlon e Carlesse têm todo gabarito para fazê-los, mas a personalidade de como levarão o nível de suas campanhas, nós ainda conheceremos.

Será preciso muita cautela, sobretudo de você (e)leitor, a união dos ratos precisa receber mais atenção, os interesses de cada candidato deve receber uma crítica forte antes de se escolher em quem votar. Aliás é preciso sabedoria para detectar quem são os ratos tocantinenses, estes que não se cansam de roer a tão prejudicada economia do mais novo estado do país.

A decisão será sua. A sua decisão afetará a minha vida, a do meu vizinho, a vida de seus filhos, a vida do estado inteiro. Por favor, não encha o Palácio Araguaia de ratos.

Haja o que houver,

Stephson Kim

Editor