DNO: R$ 2 Milhões do transporte escolar e oportunidade de investimento perdida são levantadas por líder de bloco na Câmara

Após a primeira sessão de março realizada pela Câmara de Dianópolis na noite de ontem, 15, uma fala do líder do bloco Independência e Democracia, vereador André Cavalari (PATRI) repercutiu nas ruas e principalmente nas redes sociais.

O líder levantou algumas questões como inchaço da prefeitura, contratação de empresa terceirizada para pagar servidores [que consequentemente causa sucateamento do Fundo de Previdência Municipal dos Servidores Públicos de Dianópolis – FUNPREV], operação tapa buracos ineficaz e sem planejamento e ainda uma oportunidade de investimento perdida em 2021 quando o município deixou de gastar mais de R$ 2 milhões de reais com transporte escolar de acordo com Cavalari “são muitos os detalhes que precisam ser colocados à luz da população”.

PREFEITURA INCHADA

O vereador mais jovem de Dianópolis revelou o inchaço público da máquina municipal, André Cavalari também revelou em plenário que a prefeitura contratou uma empresa terceirizada para, através dela, “fugir do índice” sustentando uma espécie de cabide de empregos. A colocação do vereador revela nas entrelinhas de sua fala que essa prática pode ainda sucatear o Fundo de Previdência Municipal dos Servidores Públicos de Dianópolis (FUNPREV), já que a empresa terceirizada não pagará ao Fundo do município o imposto arrecadado por estes novos servidores contratados. “O FUNPREV precisa de servidor para fazer caixa, Dianópolis precisa de concurso público”. Disse André Cavalari em seu pronunciamento afirmando ainda: “Não sou base nem oposição, estou aqui pelo que é certo”.

OPERAÇÃO TAPA BURACOS

Outro tema levantado na fala da liderança foi a operação tapa buracos que está sendo feita com pedras canga, “próximo da rodoviária tampam um buraco e deixam outros dois abertos, na rua do cemitério do mesmo jeito, nas proximidades da feira coberta a falta de planejamento se repete, esse tipo de coisa a gente não consegue entender, porque não é criada duas frentes de serviços, uma para a operação tapa buracos e outra para as regiões sem asfalto”, questionou André.

OPORTUNIDADE DE INVESTIMENTO PERDIDA E ECONOMIA DE R$ 2 MILHÕES NO TRANSPORTE ESCOLAR

A prefeitura deixou de gastar em 2021 mais de R$ 2 milhões de reais no transporte escolar, que não rodou em virtude da pandemia e das aulas remotas, que poderia ter sido realocado para outra área de necessidade.

André Cavalari também trouxe à tona a grande economia de recursos realizada no ano passado, onde o município teve ainda aumento na sua arrecadação.

A fala do vereador André Cavalari pode ser assistida na íntegra. Veja:

POPULAÇÃO COMENTA

O portal de notícias Tocantins Agora convidou dois ativistas sociais de Dianópolis para comentar as indagações do parlamentar.

O ativista social Elton Dias disse à reportagem:

“No ano de 2021 o município teve muita economia, como foi pontuado pelo vereador André em suas falas: onde só com transporte de alunos o município economizou mais de 2 milhões.

Creio que a única pasta que não houve economia foi a Secretaria de Saúde, pois devido a pandemia era inviável.

O gestor teve o seu momento crucial de resolver pendências que possivelmente havia ficado da gestão anterior, mas o motivo ou os motivos que o mesmo achou para ter tal decisão é uma incógnita, pois, foi o seu melhor momento de deixar o município em um patamar de desenvolvimento.

Somos sabedores que alguns parlamentares tem buscado incansavelmente a solução das problemáticas, como seu poder é limitado, cabe somente esperar uma resposta satisfatória do Executivo, que muitas das vezes não é o que ocorre da melhor maneira.

Hoje infelizmente quem paga por isso é a população e o município, mas, ainda creio no desenvolvimento e torço para que a gestão faça um bom serviço.

 

Também convidado a comentar, o ativista social e criador do principal grupo de debates políticos da região Sudeste do Tocantins, o “FISCAIS DO POVO”,  Solon Alexandre encaminhou a seguinte mensagem:

“Pelo que pude observar no levantamento de André, que é de suma importância para a transparência da coisa pública, compreendi que no transporte escolar teve o empenho, mas não foi pago o serviço, já que não foi prestado, o que gera expectativa de gasto, então, logo houve economia.

Desta feita, havendo a comprovada economia na educação, hoje o que mais se fala é o pagamento do piso salarial dos professores, a prefeitura poderia e deveria ter um olhar mais humanizado para os professores do município que precisam receber e, faço esse comentário de maneira apolítica, pois essa luta é antiga e toda a população apoia. Entra gestor e sai gestor e essa luta continua. Em minha visão falta na prefeitura planejamento e estudo para que se coloque tudo no eixo e não tenha reclamação”.

Convidada para comentar esta reportagem, a assessoria de comunicação da prefeitura não enviou nota até o fechamento da editoria, mas disse ter interesse à posteriori, pois estava com dificuldade de contatar os servidores responsáveis pela área e que o expediente da prefeitura de Dianópolis ocorre ente as 07:00e 13:00 horas.

 

***

Kim Nunes – Editor chefe