Condenado por improbidade Paulo Roberto quer voltar ao comando da prefeitura de Taguatinga

A Justiça Federal no Tocantins condenou o ex-prefeito de Taguatinga e ex-deputado estadual, Paulo Roberto Ribeiro, ao ressarcimento de 200 mil reais corrigidos monetariamente, oriundos de convênio com o Ministério da Saúde, firmado em 1997. Paulo Roberto também foi condenado ao pagamento de multa civil equivalente a três vezes o valor atualizado do dano e teve decretados a perda de função pública que esteja ocupando, a suspensão de direitos políticos por dez anos e a proibição de contratar com o poder público por dez anos. A medida foi um resultado de ação de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público Federal no Tocantins (MPF/TO) que teve início em agosto de 2002, para apurar ocorrência de desvio de recursos públicos destinados à ampliação e compra de equipamentos para o Hospital de Taguatinga. A condenação de Paulo Roberto saiu seis anos após a ação do MPF, em 2008.

Agora o tocantinense de Taguatinga terá a bela chance de votar mais um vez em Paulo Roberto. O condenado falou nesta manhã ao portal Cleber Toledo que: “já está se movimentando para tentar voltar à Prefeitura de Taguatinga, que já administrou por dois mandatos. Conforme o ex-parlamentar, sua inelegibilidade vence no dia 4 de janeiro e, então, estará livre para a disputa”.

Vale ressaltar que mesmo inelegível, Paulo Roberto concorreu, venceu e não levou nas eleições de 2016. Tendo o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).