Erros do passado custaram caro para a população de Taguatinga

A má administração da ex-prefeita Zeila Aires Antunes Ribeiro, e seu esposo, que também foi prefeito, Paulo Roberto, na Prefeitura de Taguatinga penalizou por anos a população da cidade.

Zeila responde por processos no Tribunal de Justiça do Tocantins e no Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1), e Paulo Roberto , seu esposo, responde a mais de 30 processos, sendo condenado em quatro, por improbidade administrativa e desvio de patrimônio público.

A ex-prefeita também foi condenada por irregularidades, tais como a não comprovação de aplicação dos recursos destinados às ações vinculadas ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), sendo obrigada a devolver R$ 286 mil aos cofres públicos, sendo inclusive condenada à prisão, em 2015. Ademais, a verba desviada foi uma emenda destinada por Paulo Roberto, quando era deputado estadual, para gestão da sua própria esposa.

O município teve que pagar à Receita Federal mais de R$ 2,8 milhões, por atraso de pagamento do INSS, PASEP e aposentadorias em 2010 e 2011, com multas, juros e encargos, que não foram repassados aos órgãos competentes. Tais recursos direcionados para o pagamento do débito poderiam ser aplicados em melhorias para a população, prejudicando assim, mais uma vez os taguatinenses.