Homem suspeito de cometer crime de importunação sexual é preso pela Polícia Civil em Taguatinga

Publicidade

No início da tarde desta quinta-feira (29), policiais civis da Delegacia de Taguatinga, coordenados pelos delegados Márcio Duarte Teixeira e Eduardo Nunes, deflagraram uma ação de combate à criminalidade, a qual resultou na prisão de um indivíduo de iniciais J.P.S, de 51 anos de idade. Ele é suspeito de praticar o crime de importunação sexual, por duas vezes, e foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido pelo juízo da Comarca de Taguatinga.

Publicidade

Publicidade

De acordo com os delegados responsáveis pelo caso, a investigação foi iniciada depois que duas mulheres compareceram até a sede da Delegacia de Taguatinga e registraram Boletins de Ocorrências. Elas relataram que haviam sido vítimas de importunação sexual por parte do indivíduo preso. “A partir das denúncias formuladas pelas vítimas, demos início aos procedimentos investigatórios e conseguimos reunir fortes indícios, os quais apontavam para a efetiva participação de J.P.S na prática dos crimes acima mencionados”, ressaltou o delegado Márcio.

Com base nas informações reunidas, a autoridade policial representou pela prisão preventiva do indivíduo, bem como por um mandado de busca e apreensão, os quais foram deferidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Taguatinga. Com as ordens judiciais em mãos, os policiais civis foram até a residência do investigado e, após efetuarem buscas no interior do imóvel, encontraram e apreenderam; um automóvel e uma motocicleta, supostamente, utilizados nos crimes, bem como uma espingarda, calibre 28, razão pela qual o homem também foi preso em flagrante pelo crime de posse irregular de arma de fogo.

“As investigações da Polícia Civil apontaram que, ao ver mulheres circulando em horários de pouca movimentação, J.P.S fazia o acompanhamento das mesmas e, no momento em que entendia ser mais oportuno, cometia os crimes previstos no Art. 215-A, do Código Penal Brasileiro, que prevê pena de um a cinco anos de prisão”, disse o delegado Eduardo Nunes.

Diante dos fatos, o suspeito foi conduzido até a sede da 103ª Delegacia de Polícia Civil de Taguatinga e, após a realização das providências legais cabíveis, J.P.S foi encaminhado à Cadeia Pública local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Publicidade