Acadêmicos levam projetos a produtores rurais sobre as vantagens das tecnologias agropecuárias

Publicidade

Publicidade

A Feira de Tecnologia Agropecuária (Agrotins 2018) é também uma vitrine para apresentação de projetos agrotecnológicos de alunos de universidades e escolas agropecuárias.  A Feira iniciou na terça-feira, 8, e segue até o sábado, 12, no Centro Agrotecnológico de Palmas.

Um dos projetos apresentados é o dos alunos do 3º período do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), em que foi exposto o passo a passo de como se forma uma erosão.  Na demonstração, em três recipientes, os visitantes poderiam ver o processo no solo com a cobertura vegetal, a palhada e o solo cru, ou seja, que passou pelo processo erosivo.

Na explanação do aluno, expôs-se claramente como evitar a erosão hídrica, com práticas sustentáveis de conservação do solo para manter os nutrientes e, consequentemente alcançar alta produtividade nas lavouras.

-- Publicidade --

O acadêmico de Agronomia da Unitins, Renan Clemer, ao apresentar o projeto, explicou as vantagens da conservação do solo. “O solo é um componente fundamental do ecossistema e dos ciclos naturais. É reservatório de água, suporte essencial dos sistemas agrícolas e um espaço para as atividades humanas e os resíduos produzidos”, argumentou.

Já o acadêmico de Agronomia da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra)/Palmas enfatizou o sistema pivotante rotacionado para criação de gado e plantio de grãos. O sistema, embora tenha um custo elevado, em longo prazo é lucrativo, pois possibilita a produção de grãos três vezes ao ano, dependendo da cultura, por apresentar o sistema rotativo em pivô, ou seja, regado a água o tempo todo, inclusive no período seco do ano.

Assistindo à apresentação do aluno, o produtor de Pedro Afonso, Silvino Rodrigo, manifestou interesse pelas informações. “Essas demonstrações que os acadêmicos nos passam são fundamentais para nós produtores. Com isso, adquirimos mais conhecimentos e poderemos utilizar no campo para melhorar a produção em nossas propriedades”, disse.