Amastha descumpre legislação que sabidamente conhecia

Publicidade

Publicidade

O “busão do Amastha” mote para dar um tom de povão à campanha do ex-prefeito de Palmas em suas andanças pelo Tocantins foi alvo de denúncia no TRE. Isto por que o ônibus usado por Amastha tem uma plotagem bem ao seu estilo – megalomaníaco -, ficou até legal aquele adesivo, mas é proibido, a legislação prevê que a propaganda eleitoral em veículos deve obedecer às dimensões específicas, ou seja, dimensão máxima de 50 (cinquenta) centímetros por 40 (quarenta) centímetros, exceto adesivos micro perfurados até a extensão total do para-brisa traseiro.

No veículo usado pela campanha de Amastha os adesivos medem cerca de 9 m², (2,6m de largura por 3,6m de altura). “As dimensões médias do veículo ‘envelopado’ foram comprovadas em anexo da inicial, indicando Largura: 2.600 mm e Altura Total: 3.600 mm”, afirma a decisão.

-- Publicidade --

Mas com o time reforçado de advogados que defendem o ex-prefeito de Palmas, isso já era mais que sabido, sem nenhuma dúvida. Quando Amastha foi candidato a primeira vez em Palmas o mesmo fato ocorreu em 2012 quando esta legislação já era vigente. O então candidato a prefeito teve que retirar materiais de sua campanha que eram grandes de mais na área externa de seu comitê, em Taquaralto na época.

Nesta quinta-feira, 10, o TRE deu prazo de 48 horas para que a propaganda irregular seja retirada, sob multa diária de R$ 1000,00 por dia de descumprimento.

Pois é, dinheiro pouco é basteira pro político do PSB.