- Publicidade -

O deputado Eduardo Siqueira Campos (DEM) solicitou da tribuna da Assembleia Legislativa, que o Governo do Estado, realize uma auditoria completa na folha de pagamento dos servidores. O objetivo, segundo o parlamentar, seria identificar onde estão e o que fazem cada servidor, inclusive os cedidos para municípios e outros poderes, além dos cargos em comissão e contratos temporários.

O parlamentar alertou para que se evite, em caso de publicação de uma lista de servidores exonerados, situação já ocorrida no passado, em que funcionários que efetivamente prestavam serviço deixavam o quadro, enquanto “apadrinhados” permaneciam. “Se sai um Diário Oficial com uma lista de dois mil exonerados e apenas um for um maqueiro ou motorista de ambulância, a notícia será de que todos eram trabalhadores e foram demitidos injustamente. E no fim, pode não ser uma coisa e nem outra”, avisou. O deputado também fez questão de ressaltar que este não era um pronunciamento de oposição e que só o fazia porque acredita na gestão que ajudou a eleger.

Para o deputado Eduardo Siqueira Campos, antes de realizar uma reforma administrativa, cada secretário deveria apresentar ao Governador do Estado, um relatório demonstrando onde e como são feitos os gastos de manutenção da administração pública. Siqueira relembrou que a gestão passada havia feito um contrato de R$ 10 milhões para vigiar as máquinas do Dertins (hoje Ageto), que estavam guardadas nas residências, ao invés de usar o montante para recuperação das estradas em parceria com os municípios.  “O Estado está abarrotado de prédios alugados com preços aviltados. E em algumas cidades vemos o Ruraltins, o Naturatins e outros órgãos em prédios separados quando poderiam estar em um mesmo local para que o cidadão pudesse resolver todos os seus assuntos em um mesmo estabelecimento”, afirmou.  “Nenhum desses contratos é culpa desse Governador, foram herdados, mas é hora de tomar uma atitude e preparar um grande primeiro de janeiro, não como um dia de festa, mas o primeiro dia de trabalho de uma nova jornada”, complementou.

Eduardo Siqueira destacou que uma reforma assim seria aprovada pela população. “As demissões de quem não trabalha não acharão quem as defendam, mas se tiver um único maqueiro na lista, aí sim haverá protesto e esse filme já passou várias vezes”, reafirmou.

Sobre o parlamento estadual, Eduardo Siqueira Campos voltou a cobrar maior efetividade no trabalho, e uma das principais ações é a reforma do Regimento Interno. O deputado também defendeu que cada gabinete parlamentar tenha contratado um jornalista profissional ocupando o cargo criado de assessor de comunicação. “Se cobramos do Governo, temos também que apresentar agilidade, eficiência, produtividade e transparência para com a população”, finalizou.