Foto: Dicom/AL
- Publicidade -

O deputado estadual Ricardo Ayres (PSB) apresentou dois requerimentos na Assembleia Legislativa solicitando explicações e as providências necessárias, para resolver o problema do assoreamento no lago do Parque Cesamar. Os requerimentos são direcionados à Prefeitura Municipal de Palmas e a empresa BRK Ambiental.

Cartão postal da Capital Tocantinense e um dos pontos turísticos de lazer e esportes do Estado o Parque Cesamar tem sofrido grandes impactos ambientais nos últimos tempos. Além do triste episódio recente de uma queimada de grandes proporções que consumiu áreas verdes do entorno do local, o assoreamento do córrego e do lago do parque tem causado preocupação ao parlamentar e aos usuários que frequentam o local. “O Cesamar, além de um local de extrema beleza e de convívio para moradores e turistas de Palmas, também é uma área verde, uma reserva biologia e um corredor natural para os animais. É preciso que estejamos atentos às questões ambientais e de manutenção do local”, explicou Ricardo Ayres.

Por essas razões, um dos requerimentos solicita da Prefeitura de Palmas, mais especificamente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, informações da situação do assoreamento e a tomada de providências para que seja resolvido o problema, visto que o local é administrado pela Gestão Municipal. O assoreamento do lago Cesamar é uma questão recorrente e intervenções já foram feitas, sem sucesso, no local em anos anteriores. “Queremos que medidas efetivas sejam tomadas, devido ao fato que os sedimentos carregados interferem na topografia do lago e do córrego que o abastece, podendo gerar alagamentos em época de chuva, prejudicar a qualidade da água, desequilibrar o ecossistema local, além do risco de incidentes de maiores proporções na estrutura do barramento e do parque como um todo”, ressaltou.  

BRK Ambiental

Um outro requerimento é destinado a empresa BRK Ambiental, concessionária do serviço de saneamento básico da Capital. Segundo o parlamentar, o questionamento se faz necessário para que a empresa preste esclarecimentos sobre as informações de que águas pluviais oriundas de um terreno de sua propriedade, vizinha ao córrego que abastece o lago e ao Parque Cesamar, estejam contribuindo com assoreamento do local.