Polícia Civil deflagra Operação Vilis e prende membro de facção criminosa suspeita de matar jovem em Palmas

Publicidade

Publicidade

A Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), por meio da 1ª Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deflagrou a Operação Vilis na manhã desta sexta-feira, 17, e prendeu um homem suspeito de participar do assinato do jovem Leonardo Alves de Souza, no dia 28 de outubro de 2022, na Arne 61, em Palmas.

 

A vítima de apelido “Perninha” já era conhecida pelas forças de segurança da Capital por conta da sua ligação com o tráfico de drogas e pertencimento a uma organização criminosa de abrangência nacional. As investigações começaram a partir desse histórico criminal da vítima e uma possível integração sua a alguma facção criminosa atuante no Tocantins, explicou o delegado da 1ª DHPP, Eduardo Menezes.

 

O inquérito policial aponta que, na noite em que o crime ocorreu, a facção a qual o suspeito de cometer o homicídio pertencia emitiu uma ordem para matar o maior número possível de integrantes da facção rival, grupo criminoso em que a vítima fazia parte.

 

A equipe da 1ª DHPP apurou ainda que o homem preso hoje e um adolescente de 17 anos, em uma motocicleta de cor preta, saíram pela cidade na noite do crime para cumprir a ordem dada pela facção e matar, de forma aleatória, qualquer membro da organização criminosa rival. Já na região Norte da cidade, o adolescente avistou e reconheceu Leonardo, que caminhava pela avenida NS 2, na altura da Arne 61.

 

-- Publicidade --

O adolescente já havia sido ameaçado de morte por Leonardo. Por esse motivo, segundo as investigações, o adolescente fez questão de erguer o capacete para mostrar a Leonardo que ele seria o responsável pelo seu assassinato e, em seguida, efetuou disparos de arma de fogo contra a cabeça da vítima.

 

Logo após atentar contra a vida de Leonardo, o adolescente e o homem preso, nesta sexta-feira, fugiram do local do crime.

 

Dias depois, já monitorado pela Polícia Civil, o adolescente postou em uma rede social a seguinte mensagem com demonstração de arrependimento: “Eu prometi. Já não aguento mais. Eu só queria ser feliz. Me perdoa, meu Deus. Derramei um sangue inocente. Tira essa maldade de mim, por favor.”

 

O suspeito preso será ouvido pela polícia e posteriormente encaminhado à Unidade Penal Regional de Palmas (UPRP), onde ficará à disposição da justiça.

 

Quanto ao adolescente, a 1ª DHPP já o identificou e, ao final, encaminhará o inquérito à Delegacia Especializada da Criança e do Adolescente (DECA) para apuração da  conduta.