Gilmar Mendes nega pedido de efeito suspensivo para Marcelo Miranda e Cláudia Lelis

Publicidade

Publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes negou pedidos do MDB de Tocantins e da vice-governadora afastada, Cláudia Lelis (PV), de efeito suspensivo ao recurso que questiona a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de cassar o diploma do governador Marcelo Miranda (MDB) e sua vice.

As petições alegam que a alternância da chefia do Poder Executivo do Estado é “indesejável” e argumentam que, na decisão do TSE, “contém vícios que certamente levarão ao provimento do recurso interposto”, além de não haver provas robustas, mas sim um conjunto de indícios.

-- Publicidade --

Para Gilmar Mendes, a decisão do tribunal é sustentada por “uma miríade de provas técnicas, testemunhais e documentais”. “Ante todo o exposto, apesar de parecer inadequada a realização de eleições diretas às vésperas das eleições gerais, indefiro o efeito suspensivo”, disse o ministro.

Marcelo Miranda e Cláudia Lelis foram cassados no dia 22 de março sob a alegação de arrecadação ilícita de recursos. Novas eleições estão marcadas para o dia 3 de junho.