Compreendemos de onde veio o recado

Publicidade

Publicidade

Na noite de sábado, mais precisamente às 19:20hrs rebemos a ligação do Sr. Gilberto Donizete Martins, que primeiramente nos perguntou se “sabíamos com quem estávamos falando”. Disse ser o organizador da 5º festa das crianças (fato desconhecido por nós), que segundo ele este ano atendeu mais de 14% da população de Dianópolis, isto é, 3 mil crianças estariam na ação. O senhor Gilberto afirmou que o evento se tratava de ação “apolítica” e que é financiado por produtores rurais. Informou ainda que a ação foi realiza no dia 04 de outubro (mesmo dia em que o prefeito decretou estado de emergência) e não no dia 06 como teriam afirmado nossas fontes. A ação envolveu segundo Gilberto todas as escolas da cidade, zona rural e APAE. Afirmando que a ação teve um custo de R$ 23.500,00 (vinte e três mil e quinhentos reais), mas não nos detalhou em que esse valor teria sido investido, já que foi bancado pela iniciativa privada.

O tom do senhor Gilberto na ligação (que foi informado que estava sendo gravada) era de uma voz alterada e impaciente. Chegando a ser ríspido em vários momentos. Afirmando reiteradas vezes que o prefeito não haveria organizado a ação. Que seja observado que em nenhum momento do editorial isto fora afirmado.  Gilberto Donizete Martins afirmou que o banho de rajadas d’água foi feito pelo corpo de bombeiros, em um primeiro momento afirmou que nem sabia que isto iria ocorrer, logo em seguida questionado na ligação sobre o mal planejamento da ação, mudou a conversa dizendo que teria a informação do roteiro do evento. Outra vez questionado, perguntamos se em algum momento o prefeito teria sugerido que a ação de desperdício de água não fosse realizada, já que neste mesmo dia teria, horas antes, decretado situação de emergência no município, o senhor Gilberto não respondeu esta pergunta. Apenas disse que o prefeito não lhe comunicou que havia decretado naquele mesmo dia a situação de emergência.

Gilberto disse repetidas vezes que nós estaríamos dando tom político partidário a aquela ação, imediatamente foi informado que, o que foi ao ar se trata de uma linha editorial que cobre e opina sobre o que faz os agentes públicos na região sudeste. Muito provavelmente teria notado isto se compreendesse o que diz o título, que convida o leitor a fazer uma reflexão sobre o tom que destoa entre o que diz e o que faz o prefeito, padre Gleibson.

-- Publicidade --

Informamos ao senhor Gilberto que, caso o portal tivesse sido informado, teria muita satisfação em cobrir a iniciativa. Foi informado também que se a assessoria de comunicação da prefeitura não bloqueasse a relação com veículos de imprensa, muitas informações poderiam ser lançadas ou não publicadas.

O portal sudeste agora está à disposição da cidade para todas as pautas que sugerirem. O artigo é uma linha editorial que continuará sendo feito com intuito de convidar seu leitores a fazerem uma reflexão sobre o abismo que separa as atitudes e as palavras de um gestor.

De certa forma, compreendemos de onde veio o recado.