Nos povoados do Prata e Mumbuca, governador Wanderlei Barbosa busca soluções para demandas das comunidades tradicionais

Gestor se reuniu com moradores nessa sexta-feira, 17; regularização fundiária e infraestrutura são principais necessidades elencadas

Publicidade

Publicidade

O governador Wanderlei Barbosa visitou nessa sexta-feira, 17, comunidades tradicionais em São Félix do Tocantins e Mateiros, municípios da região do Jalapão. O gestor conversou com moradores dos quilombos do Prata e Mumbuca, que apresentaram as principais demandas de cada comunidade.
“Só há uma forma de saber o que as pessoas pensam: ouvindo-as. Não queremos e não vamos iniciar nenhum projeto que não tenha apelo popular. As pessoas precisam estar inseridas em tais projetos e, no caso do Jalapão, as comunidades tradicionais têm que ser protagonistas das próprias demandas. A população é que vai nos dizer o que devemos fazer”, expressou o Governador.

 

No povoado do Prata, em São Félix,  o governador Wanderlei Barbosa se reuniu com os moradores na praça central da comunidade. Dentre as demandas expostas, a mais urgente foi a regularização fundiária da área de aproximadamente 61 mil hectares.
A presidente da Associação dos Moradores, Luzia Passos, frisou que sem a titularidade da terra a comunidade tem sido pressionada pelo agronegócio e desmatamento ilegal que avançam na região. “Aqui nós vivemos por meio do extrativismo e agricultura familiar. Então, dependemos muito do Cerrado. É ele que produz o pequi, a mangaba, a fava d’anta e outros produtos. Com o desmatamento da região nós estamos tendo problemas com a extração e cultivo”.
As famílias do Prata lutam pela regularização da área há décadas. Os primeiros documentos de propriedade na região foram emitidos ainda na década de 1980 pelo antigo Instituto de Terras de Goiás. O presidente do Instituto de Terras do Tocantins (Itertins), Robson Figueiredo, ressaltou que o Governo do Tocantins está empenhado em garantir a propriedade da terra à sua população tradicional por direito. “Existe uma equipe que inclui Itertins, Naturatins, Procuradoria do Estado, Ministério Público Federal e Defensoria Pública do Estado para discutir  a regularização de todas as comunidades quilombolas do Tocantins. Estamos perto de resolver a situação do povoado quilombola Matões e estamos avançando para encontrar a solução mais adequada aqui também. Precisamos garantir a segurança jurídica para as comunidades tradicionais do Tocantins “, assegurou.
Obras
Os moradores do Prata também pediram melhorias de aparelhos e prédios públicos no local. No centro da comunidade, a reforma da antiga escolinha está parada há mais de um ano. O Governador visitou a construção e garantiu ajuda para  conclusão da obra. “O Governo do Tocantins quer contribuir com a obra, sendo necessário para isso licitar e cumprir todas as etapas da lei, mas vamos apelar também aos nossos senadores, deputados federais e estaduais, porque se cada um aportar uma emenda para essa obra aqui nós concluirmos rapidamente”, afirmou.
Os jovens da comunidade também solicitaram a reforma da quadra de esportes, uma importante opção de lazer para crianças e adolescentes da região. “Vamos enviar uma equipe de engenharia à comunidade para analisar a situação da estrutura e equipamentos esportivos. Pretendemos viabilizar uma parceria entre o Estado e a prefeitura, que é a responsável pela quadra de esportes, para reformar a estrutura e fornecer os equipamentos para prática esportiva”, garantiu o superintendente dos Esportes, Juventude e Lazer, Atos Gomes.

-- Publicidade --

O prefeito de São Félix, Marcos Oliveira, afirmou que pretende fazer parcerias com o Governo do Tocantins para assegurar a qualidade de vida das familias. “Aqui na comunidade existem muitas questões prioritárias, como o fortalecimento da agricultura familiar e do turismo de base comunitária, e a potencialização do artesanato. Esse diálogo com o Governo vai nos possibilitar um trabalho mais concreto e ágil com os moradores quilombolas”.
Mumbuca
Na comunidade Mumbuca, a comunidade elencou a necessidade de assistência técnica para os problemas frequentes de queda de energia, internet e telefone no povoado, além de auxílio para a realização da festa da colheita do capim dourado, e ainda melhorias de estradas e construção de pontes para facilitar o acesso da população e turistas.
A líder comunitária Antônia da Silva agradeceu ao governador Wanderlei Barbosa pela atenção e apresentou ao gestor as principais necessidades do local. “O turismo é muito importante para nós, mas as famílias que vivem aqui também precisam de assistência. Além da dificuldade de locomoção por causa das estradas, também sofremos com a falta de comunicação, porque não temos sinal de telefone, e as quedas constantes de energia e  internet, o que deixa a comunidade ainda mais isolada”.
Algumas das demandas do Povoado Mumbuca foram respondidas já na reunião. A senadora professora Dorinha garantiu a doação de um caminhão para colheita do capim dourado e o diretor de relações institucionais da Energisa, Alan Kardec Moreira, informou que a instalação de uma subestação de energia na região da Chapada das Mangabeiras, já em execução, vai resolver o problema de falta de energia nos municípios do Jalapão.
Cultura
O Povoado Mumbuca ganhou fama pelo capim dourado – ícone cultural do Tocantins. A líder comunitária Dona Miúda foi a precursora do artesanato feito a partir da planta que se destaca pelo dourado intenso de suas hastes. Em homenagem à matriarca, o Governo do Tocantins anunciou a criação do Prêmio Dona Miúda – honraria que será entregue a produtores da cultura tocantinenses. A premiação será instituída por projeto de lei. A minuta está em estudo na Casa Civil e, em breve, será enviada à Assembleia Legislativa para aprovação.

 

***

Adenauer Cunha e Guilherme Lima/Governo do Tocantins